Em encontro com Mouro, Jayme demonstra preocupação com região de fronteira


As fronteiras não têm vigilância, o que facilita a entrada de drogas e contrabando no país, diz senado

POLÍTICA Publicada: 12/06/2019 04:26:56 Autor: Assessoria
Foto: Augusto César
Sérgio Mouro e Jayme Campos .

Durante almoço do Bloco Vanguarda, com a presença do ministro da Justiça Sérgio Mouro, o senador Jayme Campos (DEM-MT) traçou um perfil das regiões de fronteiras do Brasil e demonstrou preocupação com a segurança dessas áreas que, segundo disse, vive verdadeiro caos. “O Brasil possui 17 mil quilômetros de fronteiras terrestres, envolvendo 11 estados da Federação e 588 municípios, que abrangem 27% do território nacional. A extensão continental das nossas divisas com outros países merece atenção especial e hoje, lamentavelmente, vive estado de abandono. As fronteiras não têm vigilância, o que facilita a entrada de drogas e contrabando no país”, afirmou.

 

Jayme Campos destacou dois projetos de sua autoria em que pediu especial atenção do ministro Moro. Trata-se de um projeto de resolução e de um projeto de lei relacionados à segurança e à fiscalização das faixas de fronteiras no Brasil. O objetivo do primeiro projeto, de acordo com o senador, é reunir um grupo suprapartidário de parlamentares com o objetivo de acompanhar, fiscalizar e propor políticas e ações públicas dirigidas às fronteiras brasileiras. “É uma ação pioneira dentro do Congresso Nacional”. Já o segundo projeto apresentado destina 5% das verbas do Fundo Nacional de Segurança Nacional (FNSP) para o Programa de Proteção Integrada das Fronteiras (PPIF).

 

Ao citar Mato Grosso, o senador lembrou que no estado são mais de 900 quilômetros de fronteira seca e que, por muitos anos, as BRs-163 e 364 têm sido usadas como corredores principais de carros roubados, do narcotráfico e de armamento pesado, que são levados para os grandes centros brasileiros, como São Paulo e Rio de Janeiro. Jayme Campos disse ainda que, com o surgimento de novos municípios na região de fronteira, novas rotas foram também surgindo através de estradas vicinais e esses municípios passaram a sofrer com a criminalidade. “Portanto, é nessa região que o Estado deve investir pesado”, enfatizou.

 

Ainda durante o almoço, ocorrido nesta terça-feira (11.06), Sérgio Moro apresentou um panorama das ações que está desenvolvendo no Ministério da Justiça e os parlamentares tiveram a oportunidade de debater com ele o Pacote Anticrime e a relação entre o Governo Federal e o Congresso Nacional. O convite para o ministro participar do almoço partiu do líder do Bloco Vanguarda, o senador mato-grossense Wellington Fagundes. A reunião teve ainda a presença do governado de Goiás, Ronaldo Caiado.

 

“Nada demais” – Sobre as denúncias publicadas pelo site The Intercept Brasilde troca de mensagens pelo aplicativo Telegram com o procurador da República Deltan Dallagnol, Moro afirmou aos senadores que “não viu nada demais”. “O que houve foi uma invasão criminosa de celulares de procuradores. Esse, sim, é um fato bastante grave ter havido essa invasão e essa divulgação”, declarou. O Ministro da Justiça fará melhores esclarecimentos aos senadores sobre esse caso em sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), marcada para o próximo dia 19.